Milagres não se explicam – por Débora Martins

Milagres não se explicam – por Débora Martins

. 6 minutos de leitura

Olá, meu nome é Débora, sou brasileira, casada e atualmente moramos em Portugal. Gostaria de compartilhar um pouco do que Deus tem feito em nossas vidas mas especificamente nos últimos dias de 2020.

Nos mudamos para Portugal há 3 anos com as nossas filhas de quatro patas Aysha e Mia ambas da raça Lhasa Apso.

Antes de compartilhar a nossa recente experiência, preciso contar um pouquinho da história dessas bolinhas de pelo.

Bom vamos lá, sou casada há 14 anos e até o momento, não temos filhos mas durante todos esses anos fizemos diversos tratamento de fertilização para engravidar e devido à essas tentativas sem sucesso, comecei a entrar em um quadro depressivo, porquê todo esse processo de equilibrar expectativa versus realidade, estava acabando com as minhas emoções. Até que em um determinado momento o meu médico sugeriu-nos que déssemos um tempo no tratamento para que o meu corpo pudesse descansar de toda a bomba de hormônios que tomei durante todo esse tempo (9 anos), e que nós pensássemos na possibilidade de ter um animal de estimação. Porém, não com o objetivo de substituição e sim de ter a responsabilidade de cuidar de alguém que dependesse de nós.

Diante desse cenário, eu não conseguia participar de nenhum evento relacionado a mãe e/ou pai na igreja porque isso me deixava totalmente acabada emocionalmente.

A alegria do coração transparece no rosto, mas o coração angustiado oprime o espírito. – Provérbios 15:13 NVI

No começo o meu marido foi um pouco resiliente, mas concordou. Então, há 5 anos atrás eu ganhei de presente de aniversário a nossa primeira filhota de 4 patas, a Aysha. E tivemos uma conexão muito forte logo que a vi. Foi à partir deste momento, que começou o meu processo de cura emocional.

Só ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas. Salmos 147:3 NVI

Em nenhum momento deixei de duvidar que Deus poderia operar ou pode operar o milagre. Mas estava difícil entender o motivo do “projeto filho” não ter acontecido pra nós, já que é algo tão natural e uma herança do Senhor.

Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá. – Salmos 127:3 NVI

Me sentia uma mulher sem valor e cheguei a mencionar várias vezes ao meu esposo que ele não deveria estar comigo, pois eu não podia dar filhos á ele.

Quem me conhece sabe o quanto ter um pet (animal de estimação) em casa, me ajudou a ter um “olhar” diferente à tudo isso, pois me ajudou a distribuir a minha energia em outras coisas, equilibrar minhas emoções e a receber todos os dias um amor incondicional e sem julgamentos.

Então, no dia 9 de Dezembro de 2020, Aysha começou a apresentar dores supostamente na região do peito e pensávamos que ela havia caído ou batido em algo, na tentativa de subir na nossa cama. Então, demos inicio a nossa saga ao veterinário, na tentativa de descobrir a raiz do problema. E assim ficamos por duas semanas realizando todos os tipos de exames clínicos. Porém, a situação começou a agravar-se. Ela parou literalmente de comer e começamos a alimentá-la por papinhas e através da seringa e consequentemente começou a perder peso, evacuar com sangue e foi quando decidiram interná-la.

Ela estava definhando e dos quase 5kg que ela tinha, chegou aos quase 4kg e para essas raças pequenas saibam que 1 kg é muita coisa!

Tive a impressão de ter ficado sem chão e já não conseguia fazer nada direito. A casa ficou um vazio enorme e a sensação de impotência cada vez maior! Todos os dias, era uma notícia ruim. Todas as vez que nos ligavam do veterinário para dar notícias dela, era sempre uma enorme tristeza dentro de nossos corações.

Foram dias de muita angústia e de choro e claro de muita oração ao Senhor pedindo um milagre para a vidinha da Aysha. Mas em todas as minhas orações, queria que a minha vontade fosse feita e não a vontade Dele, que deve ser soberana.

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. – Romanos 12:2 NVI

E dentre essas más notícias, chegou uma que não gostaríamos de ouvir! Ela estava com uma inflamação, que poderia ser um linfoma e que precisariam da nossa autorização para fazer um exame específico para determinar a causa.

Ela ficou internada durante 5 dias. Depois de eu ter chorado muito, eu estava lavando minha louça, quando o Espirito Santo me trouxe a memória a entrega que Abraão estava disposto a fazer com Isaque, de sacrificar seu próprio filho por obediência ao Senhor.

Passado algum tempo, Deus pôs Abraão à prova, dizendo-lhe: “Abraão!” Ele respondeu: “Eis-me aqui”. Então disse Deus: “Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei”. – Gênesis 22:1-2 NVI

E foi exatamente naquele momento em que percebi que eu estava lutando com as minhas próprias forças e que por mais esforços que fizesse, não chegaria à lugar nenhum, pois a minha confiança e esperança, não estava em Deus.

A minha oração naquele dia, foi de entrega. Disse ao Senhor, que a Aysha era Dele, e que se fosse da vontade Dele, que a levasse! Mas Deus conhecia o meu coração, e sabia o quão triste eu ficaria. Enquanto isso, eu tinha consciência que ela é Dele. Assim como todas as coisas pertencem a Ele e que nesta terra somos estrangeiros, pois estamos aqui como mordomos (servos) para cuidar daquilo que Ele tem colocado nas nossas mãos.

O senhor respondeu: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!’ – Mateus 25:21 NVI

Quando de fato fiz essa entrega sincera a Deus, senti instantaneamente um alívio e uma paz que não sei explicar! Mesmo diante de muita dor, eu sabia que não estava só, mas tinha alguém extraordinário cuidando de mim.

E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus. – Filipenses 4:7 NVI

Nesse mesmo dia Deus falou de forma maravilhosa conosco na igreja através da Sua Palavra e a frase que ouvi foi: “Deus é bom o tempo todo e o tempo todo Deus é bom” nunca fez tanto sentido.

De maneira extraordinária no dia seguinte recebemos a notícia que a Aysha tinha acordado muito melhor e que dependendo da evolução dela durante o dia, ela poderia passar a noite em casa como uma “pré-alta”.

À noite buscamos a Aysha no veterinário e mesmo com um pequeno olhar mais esperto, ela estava conosco em casa! Ela comeu, bebeu e ainda fez o que ela mais gosta que é ficar olhando na janela.

No dia seguinte mediante o comportamento dela à noite, ela recebeu alta. Porém, não tínhamos o diagnóstico exato porque os remédios que ela estava tomando, ocultava o resultado.

Depois da sua alta tínhamos consulta toda semana para acompanhar a evolução clínica dela,  e para honra e glória do Senhor ela está ótima! Recuperou o peso, voltou a latir e a brigar com a Mia.

Ela seguiu fazendo o tratamento e depois de 1 mês, a inflamação diminui consideravelmente, mas ela ainda precisa tomar a medicação, só que agora com uma dosagem menor.

Estamos tão gratos à Deus porque ele cuida de nós nos pequenos detalhes e toda essa experiência nos fez perceber que devemos valorizar não somente os grandes momentos, mas também os pequenos.

Aprendi que devemos celebrar a vida todos os dias, deixando de lado as queixas e as reclamações porquê somos como um sopro, e a vida não depende de nós, e sim, de Deus.

É como sempre digo:

- “Milagres são se explicam, milagres se vivem!”

Por Débora Martins


A minha amizade com a Débora podemos dizer que foi "a primeira vista". Poucos meses antes de sair dos EUA, eu já sabia que ela tinha vindo morar em Portugal, mas nunca havia falado com ela. Na verdade ela é cunhada da Evelyn (que já compartilhou um testemunho lindo, se você ainda não leu vai lá https://palavracomdeus.com/alegrem-se-na-esperanca-por-evelyn-martins/).
Sou grata pelas surpresas que Deus têm feito na minha vida em Portugal e essa amizade é uma delas.

Portugal (Dezembro/2019)

Bruna Duarte

Fundadora e escritora do blog, fotógrafa, esposa do Diego e mãe da Sarah e Daniel. Uso as palavras para traduzir o meu coração e creio que elas podem alcançar lugares que os meus pés não podem chegar.