Eu me chamo Rayane Alves, tenho 29 anos e sou casada há 9 anos com Joelson Alves. Residimos em Campina Grande/Paraíba-Brasil. Deus nos escolheu para vivermos uma trajetória de muitos milagres e à convite da Bruna, vou compartilhar com vocês um capítulo em especial que marcou de forma significativa a nossa história. A minha oração é que vidas sejam alcançadas e sejam testemunhas daquilo que Deus pode fazer, assim como eu sou hoje.

  • 2011 - O casamento

Casamos em 2011, após um namoro e noivado que juntos, duraram 5 anos. Ambos cristãos, optamos por honrar as Sagradas Escrituras e seus mandamentos quanto ao matrimônio.

  • 2012 - A promessa

Em 2012, recebemos do Senhor a promessa que Ele nos daria um filho e, como não era pretensão nossa naquele momento, somente quatro anos depois decidimos tentar. Eu tinha uma vida normal, era saudável, trabalhava e estava concluindo a faculdade de administração, que era meu sonho.

Os filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá. - Salmos 127:3 NVI
  • 2016 - O diagnóstico

Com o passar de alguns meses, comecei a apresentar algumas dores durante os períodos menstruais, que iam se intensificando cada vez mais. Fiz alguns exames e fui diagnosticada com endometriose. Era necessário que me submetesse a uma videolaparoscopia para retirada de um cisto no ovário e cauterização de alguns focos que estariam impossibilitando a gravidez. Realizamos a videolaparoscopia com sucesso, em maio de 2016.

Três meses depois as dores nos períodos menstruais se tornaram insuportáveis e atacavam também fora dos períodos, a ponto de ser necessário ir rotineiramente ao pronto socorro tomar uma combinação medicamentos injetáveis para aliviar a dor, já que em casa eu não tinha mais alívio com remédios de uso comum.

No mês de outubro, fomos surpreendidos com um tumor gigantesco que me fez perder o ovário esquerdo e a trompa esquerda, em uma laparotomia. De acordo com o cirurgião, ao fazer o corte, foi possível ver que o tumor jorrava sangue contaminado dentro da cavidade abdominal, o que explicava as fortes dores de cabeça que eu tinha e elevação da pressão arterial. Era o começo de uma hemorragia interna, mas a potente mão do Senhor me livrou da morte:

Pois tu me livraste da morte, livraste os meus olhos das lágrimas e os meus pés de tropeçar, para que eu pudesse andar diante do Senhor na terra dos viventes. - Salmos 116:8-9 NVI

Afinal, eu estava há três dias internada, deitada, fazendo uso de aparador, aguardando um cirurgião que aceitasse realizar o procedimento, pois quatro deles haviam negado. A biópsia constatou focos de endometriose em toda a região pélvica e cistos hemorrágicos. O tumor, que era um câncer de ovário, após exames específicos, era benigno. Deus nos surpreendeu de forma que não havia explicação para tal resultado. O sonho de ser mãe precisaria ser adiado, pois era preciso bloquear meu fluxo a fim de que este não provocasse uma nova formação de focos. Vários tratamentos hormonais foram testados, injeções fortíssimas como a Zoladex 10.8, sem êxito algum. Minha vida havia se transformado em um cativeiro. Não existia um dia sequer que eu não sentisse dor. Vivia dopada de opioides, inclusive morfina e, muitas vezes, sem alívio. As lágrimas eram minha companhia. Por diversas vezes precisava ser carregada pelo meu esposo, em busca de ajuda.

  • 2018 - O pedido do milagre

Nada parecia dar jeito. Tudo isso foi se prolongando até janeiro de 2018, quando após uma ressonância magnética fomos informados que a única solução seria a histerectomia total, os focos de endometriose já tinham invadido parte do meu intestino, bexiga, vesícula, ureter e existia uma grande formação de aderências que grudaram o útero ao ovário e intestino, e formaram um só. Vi aí as minhas esperanças de ser mãe indo embora sem eu poder fazer nada para impedir. Todo esse processo foi regado de muita oração, muitos clamores. Por diversas vezes, minhas orações eram escritas, pedindo a Deus por um milagre.

Tu és o Deus que realiza milagres; mostras o teu poder entre os povos. - Salmos 77:14 NVI

Foi Deus quem nos conduziu até a nossa capital, João Pessoa, e lá encontramos um especialista que, com mais dois cirurgiões (um para a parte digestiva e outro para parte urinária), realizaram a minha terceira cirurgia. Era março de 2018. Para isso foi preciso campanhas na internet e venda de chaveirinhos e canetas, pois o valor era muito maior que nossas posses. Um mês após essa cirurgia que havia sido a mais complexa, pois até um pedaço do intestino foi retirado, eu estava do mesmo jeito. Dores insuportáveis, cistos hemorrágicos no ovário restante. Não havia mais o que fazer. No mês de agosto, em um diálogo franco e despedaçador, decidimos que, se em dezembro tudo estivesse do mesmo jeito, optaríamos pela histerectomia. Eu não vivia. Tudo isso precisava de um basta. Não houve cirurgias medicamentos, tratamentos alternativos, especialistas que solucionassem meu caso.

  • 2019 - O milagre

Em setembro já “conformada” que faria a retirada de tudo, não havia mais expectativas, o sonho estava seco e cortado como uma árvore. Após uma indisposição e enjoo repentino, Deus nos presenteou com a gravidez, nosso milagre, nossa promessa.

Narah Yohanna nasceu em 22/07/2019 como presente de aniversário da mamãe (29/07) de um parto cesárea, após uma ameaça de ruptura uterina, causado por tantos empecilhos durante a gestação.

Eu pedi esta criança a Deus, o Senhor, e ele me deu o que pedi. - 1 Samuel 1:27 NTLH

Parecia estar tudo bem, estávamos como quem sonha, desfrutando a chegada da nossa tão esperada filha, quando novamente a doença tocou terror. Tentamos o DIU, desenvolvi adenomiose e com ela hemorragias, sangramento desenfreado, colocando em risco novamente a saúde dos meus órgãos. Precisei entender que na vida, não necessariamente conquistaremos tudo o que desejamos conforme queremos. A melhor coisa eu já havia recebido, o cumprimento da promessa. O sonho de ser mãe era realidade.

Deleite-se no Senhor, e ele atenderá aos desejos do seu coração. - Salmos 37:4 NVI
  • 2020 - Mais uma chance de viver

Então, em fevereiro de 2020, realizei a minha histerectomia. Perdi muito sangue durante o procedimento, foram necessárias três transfusões, recuperação lenta, cinco cirurgias.

Foi retirado todo meu sistema reprodutivo, mas Deus me restabeleceu e fez isso por completo. Não o perdi, ganhei de Deus mais uma chance de viver e, dessa vez, VIVER. Agora, gero mais filhos do que eu poderia imaginar. Quando, aos três anos de idade, Ele me falou que me levaria a muito lugares para contar seus feitos, não imaginava que esse seria meu caminho.

“Antes de formá-lo no ventre eu o escolhi; antes de você nascer, eu o separei e o designei profeta às nações”. - Jeremias 1:5 NVI

Se meus pés pisarão, somente Ele sabe, mas sim, eu já estou em muitos lugares neste exato momento, alcançando vidas, fortalecendo a fé e a esperança de quem não acredita mais na realização de um sonho. Deus me permitiu viver tudo isso, para que eu testemunhe que para Ele NADA é impossível.

Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível. - Mateus 19:26 ARA

Diante de tudo isso, eu quero encorajar você a plantar fé, regar com oração e perseverança para que você possa colher milagres!

A paz do Senhor Jesus Cristo!

Rayane Alves
Campina Grande-Paraíba/Brasil


Caso você queira saber mais da história da Rayane, acesse o seu perfil no Instagram: