Ovelhas ou Lobos?

Ovelhas ou Lobos?

. 3 minutos de leitura

Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. O assalariado não é o pastor a quem as ovelhas pertencem. Assim, quando vê que o lobo vem, abandona as ovelhas e foge. Então o lobo ataca o rebanho e o dispersa. Ele foge porque é assalariado e não se importa com as ovelhas.
Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco. É necessário que eu as conduza também. Elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor.
João 10:11-16 NVI

Sei que, depois da minha partida, lobos ferozes penetrarão no meio de vocês e não pouparão o rebanho.
Atos 20:29 NVI

Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores. Vocês os reconhecerão por seus frutos.
Pode alguém colher uvas de um espinheiro ou figos de ervas daninhas? Semelhantemente, toda árvore boa dá frutos bons, mas a árvore ruim dá frutos ruins.
A árvore boa não pode dar frutos ruins, nem a árvore ruim pode dar frutos bons. Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo. Assim, pelos seus frutos vocês os reconhecerão!
Mateus 7:15-20 NVI

Esses versículos parecem uma carta ou um recadinho deixado por Jesus para nos alertar sobre o que estava por vir.
Já parou para pensar o que temos sido até agora? Ovelhas ou lobos?

Será que temos sido ovelhas? Mas se somos ovelhas, somos qual tipo de ovelhas?

Somos aquelas ovelhas que permitem serem guiadas pelo seu bom pastor? Aquela ovelha obediente, submissa, que aceita a correção, que tem espírito de unidade, que compartilha com as outras ovelhas do rebanho o que tem aprendido, que é humilde e aceita as decisões do bom pastor com respeito, que comemora a conquista das outras ovelhas e que busca cooperar para o rebanho exercendo a sua função com excelência e alegria. Essa é a verdadeira e boa ovelha do rebanho!

Ou será que somos aquele outro tipo de ovelha? Aquela ovelha rebelde, ingrata, sem submissão, egoísta, que inveja a conquista das outras ovelhas do rebanho, que critica as decisões de liderança do bom pastor. Portanto, se consideramos que somos este tipo de ovelha, acreditamos que somos muito bons e que não precisamos de ouvir a voz do nosso pastor e, por isso, ainda ficamos fora do curral por escolha própria. Essa é a falsa ovelha, aquela que quer andar sozinha e no decorrer da caminhada vai acabar virando um lobo, pois está enganando a si mesma. Pensa que é uma boa ovelha, mas não quer aceitar o seu bom pastor.

Essa “falsa ovelha” que você acabou de ler, não existe no texto bíblico, mas enquanto eu meditava nesta Palavra eu pensei sobre isso e quis compartilhar contigo para que você também possa refletir. Pois, muitas vezes queremos ser uma ovelha, mas estamos fora do curral e talvez até mesmo diante da porta de entrada. Mas a Palavra de Deus nunca nos deixa dúvida:

Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram.
Mateus 7:13-14 NVI

Talvez hoje você seja uma falsa ovelha, conhece o Bom Pastor e tudo o que falta é apenas uma decisão. A decisão de entrar pela porta estreita.

Mas e o lobo? Será que em determinadas situações temos sido lobos e usamos as dificuldades e circunstâncias da vida para justificar esse comportamento? Afinal, o lobo sabe que é lobo e ele quer atacar as ovelhas, é isso o que ele faz, ele foi preparado e ensinado para isso desde que nasceu.

Vamos então pensar. O que temos sido afinal?

1) Boas ovelhas
2) Falsas ovelhas
3) Lobos

Enfim, o mais importante do que pensar no que temos sido, é pensar o que queremos ser daqui para a frente. Afinal, Jesus é o Bom Pastor e somos nós que escolhemos seguí-lo ou não!


Obs.: A ovelha da foto está dentro do curral.


Bruna Duarte

Fundadora e escritora do blog, fotógrafa, esposa do Diego e mãe da Sarah e Daniel. Uso as palavras para traduzir o meu coração e creio que elas podem alcançar lugares que os meus pés não podem chegar.