Gratidão é palavra certa para definir essa viagem ao Brasil em meio a uma pandemia mundial.
Muitas pessoas reclamam e reclamam com toda essa história da pandemia, incluindo eu! Alguns usam a máscara quando estão sozinhos dentro do seu próprio carro, enquanto outros só a usam quando e onde é obrigatório. Cada um tem sua forma de reagir diante das situações e obviamente que cada um de nós tem passado desafios diferentes nesta pandemia que já dura mais de um ano.
Quando comecei a escrever este texto eu estava dentro do avião indo para o Brasil numa viagem que já postergava a meses, pois não queria viajar durante a pandemia. Porém, devido a urgência de resolver algumas pendências eu tive que ir e enfrentar esse desafio. É a primeira vez que me afasto dos meus filhos desde que nasceram (Sarah 4 anos e Daniel 2 anos) e acho que esta situação acabou deixando as minhas emoções mais vulneráveis. O coração de mãe ficou bem apertado!

Vamos voltar um pouquinho no tempo, em Outubro/2018 especificamente, quando eu e minha família aterrissamos no aeroporto de Lisboa pela primeira vez. Mesmo no momento em que eu estava chegando, a minha vontade era de ir embora e voltar para os EUA, de onde eu acabara de chegar.

Durante mais ou menos dois anos, eu passei em frente o aeroporto de Lisboa por várias vezes e por todas as vezes fazia alguns comentários com meu marido:

- "Não vejo a hora de ir embora!"
- "Ainda não sei o que vim fazer neste lugar!"
- "Este lugar não é para mim!"

E por aí vai... A vontade de ir embora era tão grande que isso me deixou cega por muito tempo. Eu ficava pensando em um futuro que eu nem mesmo sabia se um dia iria chegar e por isso não podia viver o presente.

Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal. - Mateus 6:34 ARA

Com certeza esse foi um grande erro e sou grata por tudo o que pude aprender com esse tempo de "cegueira". Eu olhava para Portugal usando os "óculos" dos EUA, óbvio que isso não ia acabar bem e eu mesma estava escolhendo viver uma vida de murmuração enquanto eu deveria estar vivendo uma vida de gratidão assim como está escrito:

Fazei tudo sem murmurações nem contendas - Filipenses 2:14 ARA
Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco - 1 Tessalonicenses 5:18 ARA

Foi uma adaptação realmente muito difícil, mas Deus começou a me libertar desta prisão e aos poucos foi tirando as escamas dos meus olhos e pelo poder do nome de Jesus eu fui (e sou) transformada dia após dia.

O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; - Isaías 61:1 ARA

Então, comecei a ver Portugal de outra maneira e busquei em Deus o propósito Dele para a mim e para a minha família nesta nação que Ele escolheu para nós. Depois de um tempo o Senhor nos deu a oportunidade de escolher entre Portugal e EUA, mas como já conhecíamos os propósitos Dele decidimos ficar. Aprendi que Deus é tão bom que Ele só nos dá a oportunidade de escolher, quando estamos prontos para fazer a melhor escolha.

Voltando ao avião rumo ao Brasil...

Enquanto o avião subia por um lindo céu azul, eu pude ver Lisboa de uma perspectiva que eu nunca tinha visto antes. Sentada na minha poltrona, eu vi um lindo céu azul com poucas nuvens, o Rio Tejo, a ponte Vasco da Gama, os "cata vento gigantes", um pouco da cidade, um pouco de montanhas, toda a região de Parque das Nações. Eu estava sentada próximo da asa do avião e podia ver a bandeira do Brasil pintada na pontinha da asa. Naquele momento é como se o tempo estivesse parado e com uma visão de águia, Deus me permitiu ver Brasil e Portugal através daquela janela. Meu celular já estava desligado eu eu não consegui tirar uma foto daquele momento, por isso escrevi para me lembrar de cada detalhe e ao invés de tirar a foto eu decidi aproveitar o momento. Me concentrei em cada detalhe daquela imagem que registrei com os meus olhos na memória do meu coração. Senti a presença de Deus, me emocionei e chorei, assim uma paz inexplicável tomou conta de mim. A doce presença do Espírito Santo me permitiu ver o quão privilegiada eu sou, pois viver o presente é realmente um presente de Deus.

Então, orei e agradeci a Deus por Ele nunca ter desistido de mim, pois hoje estou vivendo uma parte do sonho que Ele sonhou para mim. Afinal, é um sonho diferente do meu, mas é pleno, completo, perfeito assim como tudo que Ele faz.

E assim nasceu a poesia Como uma carta de amor (link: https://palavracomdeus.com/como-uma-carta-de-amor/ )

Fiquei fazendo tantos planos de entrar naquele aeroporto para ir embora de volta para os EUA e quando entrei novamente no aeroporto foi para viajar ao Brasil. Uma realidade totalmente diferente dos meus planos, mas como está escrito:

O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos. - Provérbios 16:9 ARA

A vida é curta, os anos passam voando, mas tem alguns dias que parecem não ter fim. Eu já passei por muitos desses dias e tenho certeza que você também. Eu não sei se você conhece Jesus, mas eu te garanto que Ele quer conhecer você! Foi Ele que mudou (e continua mudando) a minha vida. Ele deixou o Espírito Santo para nos guiar mesmo em mundo doente, cruel e cheio de pandemias.
E diante da pandemia, muitos abraços não podem ser dados, muitos amigos deixei de visitar, entre idas e vidas com máscara e álcool gel muita saudade ainda ficou sem matar. Mas Deus não usa máscaras e sua presença pode ser sentida mesmo sem Ele nos tocar, pois Ele toca é o nosso coração!


Essa foto não foi tirada no momento em que descrevi, mas é suficiente para ilustrar essa memória
A sombra do avião nas nuvens envolto por um arco-íris